quarta-feira, 28 de setembro de 2011

Fêmea de harpia é devolvida à natureza em Parauapebas, no PA

Ave, também chamada de gavião-real, viveu muito tempo em cativeiro.
Foi necessário treinamento duro para reconquistar a liberdade.

O gavião-real, com cerca de dois metros de envergadura e pouco mais de cinco quilos, é a segunda fêmea adulta entre os nove animais que o projeto já devolveu à natureza tanto na Amazônia quanto na Mata Atlântica.

Antes da soltura, a ave recebeu os últimos cuidados. A temperatura foi medida e o rádio transmissor, que o animal carregará pelos próximos anos e que permitirá o monitoramento via satélite, passou por ajustes.

A ave foi levada para o Parque Zoobotânico de Parauapebas em janeiro de 2009, entregue por um morador da região que a criava em casa desde filhote. Depois de mais de dois anos, passando por um processo de reabilitação, o animal agora está pronto para voltar ao seu habitat natural.

O local escolhido para a soltura do gavião-real foi a Floresta Nacional de Carajás, localizada no município de Parauapebas, no sudeste do Pará. A reserva tem pouco mais de 400 mil hectares e possui uma grande diversidade de fauna e flora.

Para levar a fêmea até o local da soltura foi montada uma operação especial. O animal foi colocado dentro de uma caixa de madeira com furos para a circulação de ar. Depois, foi levado por uma estrada que corta o interior da floresta, em três horas de viagem. Os pesquisadores tiveram que abrir uma trilha no meio da mata e finalmente a ave conheceu o novo lar.

O transmissor, implantado na harpia, vai permitir aos pesquisadores o monitoramento dos movimentos da ave pelos próximos três anos.

Fonte: Globo Rural

Nenhum comentário:

Postar um comentário