quinta-feira, 10 de março de 2011

O poder curativos dos Chás

JALAPA (BATATA-DE-PURGA) - Convolvulus Operculata
DESCRIÇÃO: Popularmente conhecida como batata-de-purga ou jalapa, é comum no nordeste brasileiro, e apresenta raízes tuberosas, grandes, amiláceas e resiníferas. É uma trepadeira de aspecto ornamental, especialmente pelos seus frutos. Cada fruto contém de uma a quatro sementes duras e pretas. Esta espécie é bienal, tem flor branca e frutos arredondados, é uma espécie silvestre, mas pode ser facilmente cultivada pelo plantio das sementes ou mesmo dos tubérculos. A batata-de-purga é amplamente utilizada pela população devido à sua atividade laxante, purgativa, depurativa contra moléstias da pele e no tratamento da leucorréia. Para este fim, emprega-se a decocção do tubérculo seco.

INDICAÇÃO: Chá de Jalapa (batata de purga) >>> Prisão de ventre, constipação crônica (laxativo), vermes e depurativo do sangue.

COMO FAZER: Coloque 2 colheres de sopa para um litro de água.
Deixe cozinhar por cerca de 10 minutos a partir do momento em que se inicia a ebulição, após esse tempo, retire do fogo e deixe repousando, tampada, por 10 minutos. Coe e está pronto para o uso.

COMO BEBER: Tome de 2 a 3 xícaras ao dia.


ALCACHOFRA - Cynara scolymus - L.
DESCRIÇÃO: A Alcachofra (Cynara scolymus L.) é originária do norte da África, mas atualmente é encontrada em todas as regiões de clima temperado e sub-tropical. Em algumas regiões, aparece na forma silvestre, mas geralmente é cultivada como legume.
A Alcachofra possui propriedades coleréticas (estimula a produção de bile) e colagoga (estimula a eliminação da bile pela vesícula biliar), estes efeitos em conjunto levam a uma melhora da digestão de gorduras, além da diminuição de colesterol e triglicérides.

INDICAÇÃO: O chá de alcachofra é indicado para ácido úrico, psoríase, doenças das vias biliares e hepáticas, colesterol, diabetes, icterícia, emagrecimento, eczemas, erupções cutâneas, anemia, escorbuto, raquitismo, hipertensão, hemorróidas, má-digestão, prostatite, uretrite, debilidade cardíaca, hepatite e colecistite.

COMO FAZER: Coloque 3 colheres de sopa de erva para 1 litro de água. Ferva a água, junte a erva e deixe levantar fervura. Desligue o fogo e abafe a infusão por dez minutos. Coe e beba quente, morno ou gelado.

COMO BEBER: Tome 1 xícara 3 vezes ao dia.


ALFAVACA - Ocimum americanum L.
DESCRIÇÃO: Ocimum americanum L. (sin: O. canum Sims.), da família das Labiadas, é popularmente conhecida como manjerona e alfavaca de vaqueiro, sendo amplamente cultivada na Índia devido aos variados usos de seu óleo nas indústrias de alimentos e cosméticos. A Alfavaca (Ocimum americanum L), também chamada de manjericão de folha-larga, é bastante apreciada como planta ornamental devido às suas flores. Na medicina popular, as suas folhas e flores são utilizadas no preparo de chás, devido a suas propriedades tônicas e digestivas.

INDICAÇÃO: O chá de Alfavaca é utilizado para problemas renais, má digestão, febres, tosses, aumentar a lactação, cãibra do estômago, catarro, enxaqueca, garganta, gases, gastrite, gripe, náuseas, vômitos e infecções intestinais.

COMO FAZER: Coloque as folhas em um copo, derrame água quente sobre elas e deixe descançando por 10 ou 15 minutos.

COMO BEBER: O ideal é tomar o chá morno antes de deitar, pois é durante o sono que o corpo se restabelece e que ocorrem as melhores curas.


ALPISTE - Phalaris canariensis
DESCRIÇÃO: Alpiste (Phalaris canariensis) pertence à família Poaceae e gênero Phalaris. Morfologicamente apresentam folhas longas e finas, normalmente são herbáceas silvestres e suas hastes são ocas. Normalmente são utilizadas as sementes, porém podem ser utilizados os frutos também.


INDICAÇÃO: Para humanos a indicação mais comum do alpiste é para terapia de diurese, mas também é indicado para quem precisa ou quer emagrecer, sempre associada a uma dieta balanceada. É um grão muito rico em fibras, o que facilita o trânsito intestinal e auxilia o organismo na eliminação de toxinas ingeridas e absorvidas durante as refeições. É também indicado para quem tem diabetes, pois suas propriedades também incluem aliviar ou sanar edemas e tratar a retenção de líquidos. Alguns estudos ainda trazem informações que o alpiste pode ajudar no controle da pressão arterial.

MODO DE USAR: Há muitas maneiras de se ingerir este grão: em forma de chá, ou incrementando uma massa de pão com seus grãos, ou ainda depositar os grãos em uma salada, ou fazer uma espécie de farinha de alpiste e utilizá-la em sucos, sopas ou onde desejar.
CHÁ è> Coloque 1 colher de sopa de erva para meio litro de água, ferver por 5 minutos, desligue. Tampe e deixe a solução abafada por cerca de 10 minutos. Em seguida, é só coar e beber.

AMARANTO - Amaranthus cruentus
Nome científico: Amaranthus cruentus; Amaranthus caudatus; Amaranthus hypocondriacus
Família: Amarantáceas
Nome comum: amaranto, amarantus, caruru
Origem: México (Amaranthus cruentus e Amaranthus hypocondriacus ); Andes / Peru e Bolívia (Amaranthus caudatus)


Rico em cálcio, o amaranto pode ser utilizado como substituto do leite animal, sendo indicado para crianças e pessoas com intolerância à lactose. O alimento também funciona como uma ótima opção de variação nutritiva no cardápio dos celíacos, além de atuar no controle da glicemia em diabéticos, graças à alta concentração de fibras alimentares – maior do que as encontradas na aveia, milho e trigo.


A grande concentração de esqualeno em sua composição, substância somente encontrada em quantidades significativas nos óleos de fígado de animais marinhos, é uma característica singular do amaranto. Suas propriedades naturais incluem a ação antioxidante, no combate aos radicais livres, aumento da oxigenação do metabolismo e proteção da membrana celular – sistema imunológico.


Com forma e consistência similares às da aveia -, o amaranto pode ser consumido com frutas e iogurte no café da manhã, como ingrediente de pães, bolos e doces, além de ser incorporado em sopas, vitaminas, entre outras receitas de pratos doces e salgados.

UNHA DE GATO - Uncaria tomentosa - Willd.
DESCRIÇÃO: A unha-de-gato (Uncaria tomentosa) é uma planta medicinal muito popular no Peru. Trata-se de uma trepadeira arbustiva que cresce apoiada geralmente em uma árvore, com folhas compostas, opostas e ovais. Seu nome popular foi inspirado na semelhança de seus espinhos com as unhas do gato (nos Estados Unidos ela é conhecida como Cat's claw).
Sabe-se que os incas foram os primeiros a tirar benefícios de seus princípios ativos e, ao passarem os seus conhecimentos para os índios, deixaram uma riqueza medicinal utilizada no tratamento de doenças como artrite, gastrite, reumatismo e inflamações em geral.

INDICAÇÃO: O chá de Unha de gato é utilizado para processos inflamatórios, miomas (cistos), amigdalite, antiabortivo, artrite, reumatismo, sinusite, rinite e abscessos cutâneos.

COMO FAZER: Coloque 1 colher de sopa para um litro de água.
Deixe cozinhar por 3 ou 4 minutos a partir do momento em que se inicia a ebulição, após esse tempo, retire do fogo e deixe repousando, tampada, por 10 minutos. Coe e está pronto para o uso.

COMO BEBER: Tomar de 2 a 3 xícaras ao dia

QUEBRA-PEDRA - Phyllanthus niruri - L.
DESCRIÇÃO: Erva de caule de 50cm, muito fino. Folhas ovais, alternas, muito pequenas. Flores amareladas, esverdeadas. Fruto com três lojas, tendo em cada uma duas sementes. Raiz fresca por fora, esverdeada por dentro.

INDICAÇÃO: O Chá de Quebra Pedra é diurético, serve para eliminação de cálculos renais, nefrites, cistites, pielites, ácido úrico, próstata, fígado, disenteria, gota, icterícia, úlceras e como relaxante muscular.

COMO FAZER: Coloque 2 colheres de sopa de erva para um litro de água, quando a água alcançar fervura, desligue. Tampe e deixe a solução abafada por cerca de 10 minutos. Em seguida, é só coar e beber .

COMO BEBER: Tomar de 2 a 3 xícaras ao dia .

QUINA-QUINA (Murta-do-mato) - Coutarea hexandra
DESCRIÇÃO: Murta-do-mato, também conhecida como quina, quina-branca, quina-de-dom-diogo, quina-de-pernambuco, quina-do-pará, quina-do-piauí, quina-quina, quineira e outros, refere-se à rubiácea Coutarea hexandra (Jacq.) K. Schum. Árvore baixa de tronco tortuoso e copa globosa, com inflorescência rósea em panícula e sendo seu fruto cápsula deiscente com sementes aladas membranosas, é planta bastante ornamental, sendo usada em paisagismo. Nativa do Brasil, de partes úmidas da Amazônia e Mata Atlântica, ocorre am várzeas aluviais da floresta pluvial e da latifoliada semidecídua, em várias regiões do país. Explorada intensamente por seu uso medicinal, é hoje árvore rara.

INDICAÇÃO: Anemia, convalescência, febres em geral, inflamações, tônico amargo, hepaprotetor e antidiabético.
Uso externo: queda de cabelo.

COMO FAZER: Coloque 2 colheres de sopa para um litro de água.
Deixe cozinhar por cerca de 10 minutos a partir do momento em que se inicia a ebulição, após esse tempo, retire do fogo e deixe repousando, tampada, por 10 minutos. Coe e está pronto para o uso.

COMO BEBER: Tomar de 2 a 3 xícaras ao dia.
Fonte: Site Chá e Cia) Conheça outros tipos de Chás em nosso site:

Nenhum comentário:

Postar um comentário